Maternidade e carreira: organização é essencial para buscar o equilíbrio

0
358
Imagem: Divulgação

No próximo domingo, 12 de maio, é comemorado o Dia das Mães e o momento nunca foi tão propício para a discussão sobre equidade de gênero nas organizações. As mulheres representam 43,8% dos empregos no Brasil, o que equivale a cerca de 40,8 milhões de trabalhadoras, e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnac), em 2015, mostrou que o número de famílias chefiadas por mulheres mais que dobrou em 10 anos. Diante deste cenário, para muitas mulheres, a organização da rotina e o apoio da empresa são fundamentais para conciliar família e carreira.

Imagem: Divulgação

Na Cencosud Brasil, quarta maior supermercadista do país, quase metade dos 26 mil colaboradores é composta por mulheres. Delas, 43% ocupam cargos de liderança e quase 60% declaram ter filhos ou dependentes. Além disso, do total de promovidos em 2018, 67% foram mulheres. Entre elas está Maristela Souza, 51 anos, há 14 anos no Prezunic. Ela costuma se definir como “mãe equilibrista”. A função de gerente do Prezunic na Freguesia, Zona Oeste do Rio, jamais a impediu de cumprir todos os papéis de mãe, mesmo sendo a única responsável por cuidar do filho João Victor, hoje com 17 anos. “Eu já era gerente de loja quando me separei, e o meu filho tinha 8 anos. Jamais faltei a uma festinha na escola, e também nunca deixei de vir trabalhar por causa disso. Consegui encontrar um equilíbrio entre família e trabalho, e até hoje é assim”, relata Maristela.

Hoje, Maristela repete com as colaboradoras de sua loja a atitude que a empresa teve quando ela precisou de auxílio para cuidar do filho. “Eu sempre contei com a compreensão da empresa, quando, por exemplo, precisava sair por algum momento para estar com meu filho na escola. Se tinha uma festinha, eu saía do trabalho, ia correndo ouvir a musiquinha, cantar e dançar com ele. Depois, voltava para a loja”, relata a gerente. “Hoje, procuro ter a mesma compreensão com quem está nessa situação”.

Essa, no entanto, não é uma realidade para muitas mulheres no país. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2017, mostrou que metade das mães perde o emprego 12 meses após o fim da licença maternidade. Uma realidade bem diferente da gerente do Prezunic no Fonseca, em Niterói, Marlei de Lima, 48. Ela é mãe de duas filhas e avó de um neto. Todos moram juntos. Mesmo quando estava casada, era ela quem sustentava a família. “Sempre fui pai e mãe. Hoje, minhas filhas têm 15 e 24 anos. A mais velha está concluindo a faculdade de Veterinária e a mais nova ajuda a cuidar do meu neto, que tem 4 anos”, diz Marlei. “Somos uma família que se apoia, e tenho muita alegria ao ver que construí esse espírito de amizade e cooperação”.

Imagem: Divulgação

Vítima de uma enchente que a fez perder quase tudo em 2010, Marlei conseguiu dar a volta por cima. “Na mesma época em que houve a queda do Morro do Bumba, em Niterói, minha casa em Itaipuaçu ficou debaixo d’água. Perdemos tudo. Mas passou. Hoje, com o meu trabalho, tenho casa nova e carro próprio e estou me graduando em Logística. Minhas filhas sabem o valor de cada conquista, e tenho certeza de que as dificuldades contribuíram para isso”, ressalta Marlei. A gerente, que está há 14 anos no Prezunic, já é conhecida por seu exemplo até mesmo entre os clientes da loja, que, volta e meia, vêm pedir alguma orientação. “É comum algumas clientes mais chegadas virem, às vezes, contar algum caso particular e pedir auxílio. Não me considero melhor que ninguém, mas, se puder ajudar, estou sempre aqui”, finaliza.

Histórias de superação são um dos elos que unem estas mulheres. A consultora de RH Marilene Fernandes completa, em junho, seis anos de Cencosud, quase cinco deles no Prezunic, e tem muito orgulho da sua história. Baiana, ela chegou ao Rio em 2014 quando a filha tinha apenas 5 anos. De lá para cá, conquistou cada vez mais espaço na empresa. “Fui aprovada na seleção e logo comecei um trabalho novo, onde eu me identifico e que me sinto desafiada todos os dias e isso é importante para manter a minha motivação. Sempre tive a felicidade de trabalhar com pessoas maravilhosas e que me inspiram até hoje”, afirma.

Orgulho também é o sentimento que vivencia quando pensa em sua relação com a filha que é descrita como uma menina estudiosa, responsável e muito doce. Criada na periferia de Salvador, Bahia, brincando em meio a um aterro sanitário conhecido como lixão da Canabrava, Marilene chegou ao Rio de Janeiro sem a companhia da família e de amigos antigos. Na cidade nova, contou a força do seu trabalho e com uma nova rede de apoio formada por outras mães que se ajudavam mutuamente. Assim, pôde crescer na carreira sem abrir mão dos cuidados com a filha. “Me sinto honrada em ver a minha trajetória de vida, de onde saí e onde estou. Hoje sou consultora de RH de uma multinacional, psicóloga, master coach e escritora. Sinto que com a minha história, posso contribuir para a vida de outras mulheres e fazer com que elas enxerguem que podem conquistar tudo o que desejam. Basta querer, se preparar para chegar lá e nunca desistir. Ainda tenho muitos sonhos a realizar, mas sei que o saldo atual me deixa muito satisfeita e realizada com a minha vida”, lembra Marilene que se casou novamente e hoje está grávida de dois meses do segundo filho.

A encarregada da caixa geral do Prezunic Vista Alegre, Virgínia Kátia Grilo, tem praticamente o mesmo tempo de empresa e de maternidade. Há 17 anos, quando os gêmeos João Vítor e João Carlos ainda eram bebês, Virgínia foi contratada para ser auxiliar da Tesouraria. Ao longo deste tempo, criou sozinha os filhos e conquistou histórias de sucesso na carreira. “Fui sempre pai e mãe. Eu sou a única referência que eles têm”, afirma. Um desafio que deu à Virgínia a força necessária para enfrentar todas as dificuldades. Hoje os meninos já são rapazes de 18 anos que estão concluindo o Ensino Médio e sonham com a carreira militar. “Apesar de toda a dificuldade que enfrentei, nunca faltou nada aos meus filhos. E tudo o que consegui dar a eles foi graças ao meu trabalho no Prezunic”, garante Virgínia.

Diversidade e Inclusão

A Cencosud adotou Política de Diversidade & Inclusão para reforçar o respeito no que tange a gênero, orientação sexual, raça ou faixa etária entre os colaboradores. Como forma de promover o tema internamente, a companhia realiza diferentes ações, como conteúdos na plataforma de treinamento online, campanhas internas e comitês dedicados ao tema com participantes de todos os países onde está presente. A Cencosud também possui um Código de Ética com as diretrizes de comportamento que devem guiar colaboradores a incorporar os princípios e valores da organização em benefício da sua conduta profissional.

Como reflexo do trabalho que vem sendo desenvolvido, as empresas da Cencosud Brasil estão entre as melhores empresas para trabalhar no varejo, tendo as Redes GBarbosa e Perini nos rankings da Bahia, Alagoas, Ceará e Pernambuco da Great Place To Work (GPTW), além do Prezunic, no Rio. Os interessados em trabalhar na companhia devem cadastrar currículo no site: www.vagas.com.br/cencosudbrasil e acompanhar a página da Cencosud S.A. na rede social LinkedIn.

 Fonte: Assessoria de imprensa Prezunic

DEIXE UMA RESPOSTA

Por Favor Digite Seu Comentário!
Por Favor, Digite Seu Nome Aqui